Taylor Swift lançou seu novo álbum “Red (Taylor’s Version)” em 12 de novembro em todas as principais plataformas de streaming com 30 canções, que são regravações de seu álbum “Red” original de 2012, além de nove faixas recém-lançadas.

Este álbum lançado mais recentemente se assemelha ao álbum “Red” original e atrairia muito qualquer pessoa que apreciasse o original. Embora o álbum seja composto principalmente de músicas lançadas anteriormente, a razão para esse fenômeno é apenas outra razão pela qual os fãs deveriam transmitir “Red (Versão de Taylor)” de agora em diante, em vez do original.

Taylor Swift na premiere  do curta “All Too Well” New York. Dia 12 de novembro de 2021.

Como Swift escreve todas as suas próprias canções, ela manteve os direitos das letras e da música de cada faixa, enquanto sua antiga gravadora, Big Machine Records, possuía as faixas principais, de acordo com a CNN, que eram as gravações físicas de cada música em o lançamento original.

Ao longo dos anos, a Big Machine Records vendeu algumas das músicas de Swift, que foram vendidas novamente para outra gravadora, tudo sem o conhecimento ou aprovação de Swift. Regravar seus álbuns, começando com “Fearless”, originalmente lançado em 2008 e relançado como “Fearless (Versão de Taylor)”, são uma tentativa de Swift de recuperar seu próprio trabalho.

Este é um plano genial de Swift para contar com seus fãs leais para se reunir em torno dela e de seus antigos favoritos do cantor e compositor. A princípio, pode-se ficar confuso sobre por que um álbum antigo está sendo lançado novamente, mas uma vez que toda a história é revelada, as pessoas devem estar ansiosas para transmitir o novo álbum para apoiar Swift, o verdadeiro dono da música.

Além disso, a escolha de Swift de incluir algumas músicas ainda não lançadas no álbum foi uma ótima escolha para atrair novos ouvintes, bem como aqueles que amavam o “Red” original. As músicas, incluindo “Better man”, “Babe”, “Message in a Bottle”, “The Very First Night” e muito mais, se encaixam no personagem “Red”.

Uma dessas novas adições é uma versão de 10 minutos de “All Too Well”, o videoclipe de 14 minutos que, intitulado “All Too Well: The Short Film”, é atualmente o número 1 das tendências musicais no YouTube a partir de 15 de novembro. O vídeo mostra dois personagens em um relacionamento mais ou menos interpretando a letra da música enquanto o relacionamento começa doce e amoroso e se separa com o tempo. A música é intercalada com pequenas seções de diálogo que complementam a música e estendem sua linha de história.

No final do vídeo, a própria Swift interpreta a versão adulta da personagem feminina principal interpretada por Sadie Sink, com cabelos ruivos para combinar com o de Sink. A combinação do cabelo ruivo com o título do álbum e o motivo do lenço vermelho entrelaçado ao longo da música e os visuais servem para unificar artisticamente a música, o álbum e o filme sem serem muito agressivos.

A versão de 10 minutos da música honestamente funciona muito bem como uma faixa independente. Não é irracional pensar que 10 minutos pode ser muito longo para funcionar bem como uma única faixa em um álbum maior, mas com a história que flui através da música, os 10 minutos voam enquanto se segue a história interna.

As canções regravadas são certamente nostálgicas para a era antiga da música de Swift. No entanto, a nova maturidade na voz de Swift é palpável entre as faixas regravadas. É um grande privilégio poder desfrutar de sua música antiga, que muitas pessoas se conectaram na adolescência, com os vocais desenvolvidos de Swift. É uma prova do fato de que Swift não atingiu um platô em sua habilidade, mas melhorou continuamente, apesar de já ser uma musicista de sucesso.

Os artistas convidados Ed Sheeran, Chris Stapelton, Phoebe Bridgers e Gary Lightbody melhoram muito o álbum. Essas faixas são todas muito bem feitas com os vocais convidados complementando perfeitamente os de Swift sem dominá-la de forma alguma. As harmonias em cada música são lindas e acentuam a habilidade vocal de Swift.

No verdadeiro estilo Swift, cada música é muito pessoal e específica. Esse caráter de sua música torna cada música incrivelmente poderosa e apaixonante e, uma vez que esta regravação é uma declaração da autonomia de Swift como artista, essa paixão brilha ainda mais brilhante do que no original.

O álbum “Red (Taylor’s Version)” é um passo admirável para Swift em retomar a propriedade de sua música, além de ser um álbum completo, divertido e identificável que combina suas músicas anteriormente populares com seus vocais mais maduros.

TRADUÇÃO: POP SWIFT BRASIL / MAT´ÉRIA DO: The East Carolinian

vídeo em destaque
siga nosso twitter
curta nossa página
instagram feed
parceiros
PRÓXIMOS EVENTOS, SHOWS, LANÇAMENTO DA TAYLOR...

“RED”-VERSÃO DA TAYLOR
ANIVERSÁRIO DA TAYLOR SWIFT
EM BREVE
EM BREVE
Pop Swift Brasil Todos os direitos reservados
Edições por: Julia
error: Content is protected !!